Tradutor - Translate

Total de visualizações de página

terça-feira, 24 de maio de 2016

O poder do perdão

Vamos falar de perdão?


Pare por um minuto e pense em uma ferida antiga, daquelas que doem para valer....



 Pensou?






Relaxe agora e observe que, provavelmente enquanto você pensava na ferida a sua expressão facial mudou, sua pressão sanguínea aumentou, seus batimentos cardíacos aceleraram e seus músculos ficaram tensos...

Este foi um teste aplicado pelo psicólogo Frederic Luskin, autor do livro O Poder do Perdão.

Ninguém passa pela vida sem sofrer decepções e dores. Mas o que geralmente esquecemos é que também causamos estes mesmos sentimentos nas outras pessoas.

Esta parte na maioria das vezes esquecemos.

A mágoa e o rancor fazem mal tanto para quem os sente quanto para quem os provocou.

No entanto, estes são sentimentos que não estavam aí e a possibilidade de elimina-los é grande, uma vez que isso aconteça, certamente vai causar uma espécie de revolução interna. Há quem diga que é também uma questão de maturidade e humildade.

Liberar ou pedir perdão não é tão simples quanto pode parecer, mas é possível.


Se libertando das grades invisíveis


Martin Luther king disse que " perdão é um catalisador que cria a ambiência necessária para uma nova partida, para um reinício".

Se você fez o teste sugerido no início desta página, então já sabe o que a mágoa causa em você. A busca agora é por aquele sentimento de leveza. Obviamente o assunto é complexo e teremos uma introdução que poderá ajudar o leitor a entender melhor os caminhos a seguir.

Por esta razão, a coluna conversou com o psicólogo Aluizio Vidal para entender um pouco mais sobre os mecanismos que devemos utilizar tanto para perdoar quando para pedir perdão.


Quando perdoar melhora tudo em nós?
Todas as vezes que se está consciente de que a ferida já chegou ao seu ápice, ou seja, precisamos sentir toda a dor que ela já causou em nosso ser, para que não fique alguma coisa para depois do perdão liberado. Quando se chega a essa consciência, o perdão é necessário e saudável sempre.
 
Que mudanças podem gerar em nós quando perdoamos?
O perdão libera o coração da amargura da mágoa, torna-nos mais sensíveis ao outro e, portanto, mais aceitáveis aos outros e liberta-nos da falsa ideia de que estamos acima do outro porque errou conosco. Pessoas que perdoam com facilidade têm a vida mais leve e mais livre das doenças psicossomáticas, muitas vezes consequência das mágoas guardadas.

É necessário apagar as lembranças?
Perdoar não é esquecer as lembranças e sim não permitir que a dor daquele fato passado doe no presente.

Sair do papel de vitima é importante e como fazer isso?
O papel de vítima traz ganhos secundários num primeiro momento, contudo, com o tempo leva a pessoa a perdas impressionantes, pois sua energia vital fica presa num fato passado e seu futuro tende a ficar no passado. O melhor a fazer é assumir a ferida como algo do passado e que foi curado com o perdão, pois os ganhos daí são permanentes e nos leva para o futuro.
 
É mais difícil perdoar ouvindo opiniões contrárias?
Sim, muito mais difícil. Por isso, é importante compreender que perdão não se dá a partir da justiça (isso geraria punição), e sim do amor, mas não o amor do outro e sim o amor de quem experimentou a ferida.
 
Perdoar significa ter que voltar a conviver com a pessoa?
Perdão essencialmente é assumir que a dor do passado não dói no presente, contudo, se aquela pessoa tem como característica agir daquela forma e aquilo não é o teu modo de viver, o melhor é manter uma distância crítica. O que não pode é se afastar por causa daquele fato em si, o que demonstraria não haver perdão.
 
Quais os passos para o perdão?
 Assumir na vida uma postura mais humilde em relação aos erros dos outros, tratando os outros como gostaria de ser tratado;
 Assumir toda a dimensão da ferida; Assumir o desejo de libertar o outro da culpa para que se sinta liberto da dor. Comunicar a alguém ou à pessoa envolvida a decisão de perdoar.

Pedir perdão é tao difícil quanto perdoar?
 Depende do nível de humildade ou da importância que o outro tem em sua vida.

Quais passos para pedir perdão.
 Perceber o máximo possível tudo o que o ato gerou na vida do outro; decidir não justificar a ação magoadora; pedir perdão.

É importante estar ciente do que levou ao erro e tentar corrigi-lo é uma saída?
É fundamental estar ciente do erro e tentar corrigir quando isso é possível é uma saída sim, mas é preciso que ouça o outro quanto ao que aconteceu em seu coração, pois o sentimento já vivenciado precisa ser tratado.

O orgulho é, talvez a maior barreira tanto para quem precisa perdoar quanto para quem precisa pedir perdão. Como vencer o orgulho?
Quem não tem humildade para isso precisa decidir que agora é hora de começar. Isso demonstra qual a postura que a pessoa já apresenta quanto ao outro. Portanto, evidencia a filosofia de vida que ela desenvolveu até então.

Se não for perdoado como lidar com a decepção?
O pedir perdão não significa que receberá perdão. Significa que começa um auto tratamento através do reconhecimento do erro; a restauração da relação pode acontecer ou não.

Há quem diga que não é com vinagre que se apanha moscas. Se não for perdoado ter paciência e mostrar empatia ajudam?
Reconhecer o limite do outro e colocar-se no lugar dele certamente o ajudará sair do foco único (problema) e passar para um nível mais amplo da relação (a pessoa). Paciência e empatia serão fundamentais nesse processo. Algumas pessoas precisam de tempo.


Fonte: Sandra Santos